A sustentabilidade incentiva a inovação e o crescimento do negócio | Smurfit Kappa

Como podemos ajudá-lo hoje?

Sustentabilidade redefine o que é um bom negócio

Sustentabilidade incentiva a inovação e o crescimento do negócio

Novas pesquisas constatam a sustentabilidade a incentivar a inovação, mudando a dinâmica com o cliente e a cultura do local de trabalho, à medida que as empresas encaram com seriedade o ESG. Para dominar a sustentabilidade, as empresas precisam descobrir como atender e exceder as crescentes expectativas dos clientes e provar que a sustentabilidade pode ser rentável.

A linguagem tem demorado a acompanhar os avisos dos cientistas climáticos. Os termos "crise climática" e "emergência climática", por exemplo, são relativamente novos no discurso convencional. Mas estes termos estão aqui agora, e o significado é claro: os desafios que enfrentamos são urgentes. Atrasar não é mais uma opção.

De acordo com uma nova pesquisa encomendada pela Smurfit Kappa e conduzida pela Longitude, a maioria das empresas está a levar essa mudança a sério. Cerca de 72% consideram as práticas de sustentabilidade como uma tendência duradoura, e 83% descrevem a sustentabilidade como uma oportunidade a ser explorada.

Então a sustentabilidade chegou para ficar. O que significa isso para as empresas? Por um lado, está a reescrever as regras de como fazer bons negócios.

Sustentabilidade pode ser um win-win em inovação

Muitas empresas com visão de futuro estão a usar a sustentabilidade como uma vantagem competitiva. Em cerca de um terço das empresas, a sustentabilidade está a incentivar toda a área de pesquisa e desenvolvimento (37%) e o desenvolvimento de novos produtos (33%).

"A sustentabilidade é a mãe de todas as disrupções", diz Ioannis Ioannou, Professor Associado de Estratégia e Empreendedorismo da London Business School. As empresas têm um papel decisivo a desempenhar ao aproveitar essa disrupção e efetuar mudanças.

É provável que concentrem os seus esforços de inovação nas embalagens e na redução de resíduos, com 68% das empresas a citar os materiais das embalagens como o seu maior desafio de sustentabilidade, seguidos pela recolha e reciclagem (59%). Melhorar nestas áreas não só melhorará a sua imagem, como algumas empresas esperam poupanças. Quase metade (46%) afirma que a poupança de custos provenientes dos esforços de redução de resíduos é o benefício mais esperado das suas práticas de sustentabilidade.

"Em muitos casos, a sustentabilidade e benefícios económicos andam de mãos dadas", diz Steven Stoffer, Vice-presidente de Sustentabilidade e Desenvolvimento da Smurfit Kappa.

Consumidores conscientes esperam uma ajuda

A expectativa de sustentabilidade dos consumidores está a mudar rapidamente a dinâmica marca-cliente. 88% das organizações acreditam que os consumidores esperam que elas tenham práticas claras de sustentabilidade e 78% acreditam que os seus clientes as procuram para orientação na adoção de práticas mais sustentáveis.

Os consumidores confirmam-no. A maioria (61%) espera que as marcas que compram tenham práticas claras de sustentabilidade, e esperam que as empresas liderem: cerca de um terço afirma que os retalhistas devem garantir que os compradores sejam informados dos fatores de sustentabilidade no ponto de compra, e uma percentagem semelhante coloca essa responsabilidade nas marcas.

As marcas devem transmitir a mensagem

Essas expectativas vêm da frustração: para os clientes, as empresas não estão a fazer um bom trabalho em orientá-los para produtos sustentáveis.

Nos últimos seis meses, 55% dos consumidores dizem que compraram um produto especificamente porque tinha uma embalagem reutilizável ou biodegradável, e uma percentagem semelhante pagou mais por um produto ou serviço de origem sustentável. Mas a comunicação deficiente e falsificar a gestão ambiental (greenwashing) estão a gerar confusão, pois apesar de  estarem interessados em gastar o seu dinheiro com mais consciência, 69% dos consumidores considera difícil saber quais as marcas genuinamente sustentáveis.

Algumas marcas estão a assumir o desafio. A Nestlé, por exemplo, criou o seu Institute of Packaging Sciences e lançou um fundo de capital de risco para embalagens sustentáveis, dedicado a novos materiais de embalagem de grau alimentar, novos sistemas de entrega segura de alimentos, novas tecnologias de gestão de resíduos e capacidade de recolha de resíduos. "Estamos a usar o conhecimento científico que temos em alimentos, transferindo-o para o design de embalagens", diz Véronique Cremades-Mathis, Diretora Global de Embalagens Sustentáveis da Nestlé.

Estratégias de sustentabilidade fortalecem a cultura

Millennials e a Geração Z, as faixas etárias mais voltadas para a sustentabilidade, exercem crescente influência no local de trabalho. Portanto, as credenciais ESG são agora um imperativo comercial: se esses membros altamente movíveis da força de trabalho não sentirem que os seus empregadores  compartilham os seus valores, eles partirão para as organizações que o fazem.

As empresas reconhecem esse risco e estão a verificar o benefício de produzir estratégias de sustentabilidade: 77% das organizações relatam que a sua estratégia de sustentabilidade está a ter um impacto positivo no envolvimento e retenção de funcionários.

A medição é decisória e imperativa

As estratégias de sustentabilidade estão a tornar-se a norma, mas como é que as empresas conseguem provar que essas estratégias estão a funcionar e a criar valor? Tudo se resume a uma medição eficaz, e as empresas na pesquisa dizem que estão a ter problemas. Menos de metade diz que pode vincular sustentabilidade ao desempenho financeiro, e apenas 18% atualmente medem o desempenho da sustentabilidade em relação à sua estratégia.

Esses obstáculos não são apenas um inconveniente para as empresas - em alguns casos, eles estão a atrapalhar totalmente os seus esforços de sustentabilidade. Para 42% das empresas, a dificuldade de quantificar o seu desempenho em sustentabilidade é a maior barreira para a implementação de práticas de sustentabilidade - um desafio que é agravado pela mudança na narrativa global de sustentabilidade.

“Sustentabilidade agora é uma frase que pode significar tudo ou nada”, diz Simon Boas Hoffmeyer, Diretor Sénior de Sustentabilidade e Comunicações do Grupo Carlsberg. "Precisamos criar condições equitativas e uma metodologia consistente para medir o impacto do carbono nos nossos produtos".

LEIA O RELATÓRIO COMPLETO AQUI

 
Relatório da pesquisa gratuito

A Smurfit Kappa trabalhou com o Financial Times para conduzir uma pesquisa para responder a algumas das principais questões sobre a sustentabilidade. Descubra como o efeito da sustentabilidade está a modelar os negócios para melhor e explore os novos itens obrigatórios dos negócios.

adquira sua cópia agora