Os clientes estão dispostos a pagar mais por embalagens sustentáveis? | Smurfit Kappa

Como podemos ajudá-lo hoje?

A sustentabilidade redefine o que é um bom negócio

Os clientes estão dispostos a pagar mais por embalagens sustentáveis?

As marcas ficam obcecadas com a capacidade de antecipar as necessidades dos consumidores; portanto, a ciência de interpretar intenções é indispensável. Mas quando se trata de sustentabilidade, os cálculos não são claros.

Nesta era de consumo consciente, muitos de nós podem dizer que procuramos produtos ou serviços que se alinham com nossas atitudes. Mas muitas vezes há uma lacuna entre o que dizemos e o que estamos dispostos a fazer.

"A grande maioria dos consumidores não deseja comprometer os seus hábitos, nem comprometer o desempenho dos produtos ”, afirma Loukia Tzekaki, Diretor Associado de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Procter & Gamble (P&G) Europa. "Eles não querem mudar o que fazem, se isso significa adicionar mais complexidade ou pagar mais.”

As propostas sustentáveis que vêm com custos adicionais ainda atraem apenas um nicho muito definido de consumidores.

Esse comportamento pode ser parcialmente explicado por dois fatores: custo e comunicação.

Preços altos?

Uma nova pesquisa encomendada pela Smurfit Kappa e conduzida pela Longitude descobriu que quase (72%) das empresas dizem que os consumidores estão dispostos a pagar mais por marcas com práticas sustentáveis. No entanto, em conversas com os consumidores, metade (52%) diz que o custo é o seu principal desafio ao comprar produtos considerados mais sustentáveis.

Será que esta discrepância se deve a como a nova sustentabilidade atua como um diferenciador de produto? De acordo com Arco Berkenbosch, Vice-presidente de Inovação e Desenvolvimento da Smurfit Kappa, a sustentabilidade funciona da mesma maneira que qualquer outra nova tendência, antes de se impor e converter-se em norma. Muitos consumidores ainda não estão a pagar o preço.

"A questão geralmente é quanto o consumidor deseja pagar pela qualidade?" ele diz. “Eu acho que a sustentabilidade deve ser vista da mesma maneira - estará ligada à proposição de valor. Assim como a inovação, os primeiros adotantes estão dispostos a pagar um premium.

"Nós, como sociedade, determinamos o que queremos dizer com "padrão". Isso deve ser aplicado aqui: que valores básicos de sustentabilidade achamos que produtos ou cadeias de fornecimentos devem ter? ”

Até que isso aconteça com a sustentabilidade e até que os consumidores não a incluam no preço, outros fatores prevalecerão sobre as decisões de compra. Segundo a pesquisa, o preço é o fator mais importante para os consumidores na compra de itens do quotidiano (65%), seguido pela qualidade dos materiais (62%) e conveniência (55%). Embalagem sustentável e design de produto caíram para quarto lugar, com 37%. Além disso, pergunte aos consumidores como pagar pela sustentabilidade e quatro em cada dez afirmam que as marcas são responsáveis por cobrir custos adicionais incorridos como resultado de tornar um produto ou serviço mais sustentável.

Mensagens confusas

Nada disso é ajudado pela falta de informações. Mais de dois terços dos consumidores (69%) dizem achar difícil saber quais as marcas que adotaram práticas de sustentabilidade. Um número semelhante (62%) diz que as marcas têm falhado na comunicação das suas credenciais de sustentabilidade.

A falha em informar os clientes sobre materiais ou impacto ambiental pode estar mais relacionada com o facto de não querer envolve-los, mas não é algo em segundo plano. "Os consumidores não querem ser sobrecarregados com informações de sustentabilidade", diz Tzekaki. "Eles querem ter a certeza de que as empresas seguem as práticas ambientais certas de uma maneira simples".

A P&G está a tentar atender a essa necessidade partilhando informações nas suas plataformas digitais e através da comunicação de realidade aumentada 'in-pack', que é ativada com marcas d'água digitais.

Outras marcas procuraram maneiras de aumentar a transparência das suas operações e processos. A multinacional de cervejaria e cadeia de bares BrewDog, por exemplo, abriu o seu processo de fabrico de cerveja, oferecendo aos clientes uma participação na empresa em troca de latas de cerveja usadas.

Esses tipos de compromissos são poderosos e têm potencial para moldar a tomada de decisões dos consumidores. Mas as compensações sobre sustentabilidade funcionam nos dois sentidos: para que a lacuna entre o preço e os princípios diminua, os consumidores terão que considerar a mudança de hábitos ao longo da vida.

LEIA O RELATÓRIO COMPLETO AQUI

Relatório da pesquisa gratuito

A Smurfit Kappa trabalhou com o Financial Times para conduzir uma pesquisa para responder a algumas das principais questões sobre a sustentabilidade. Descubra como o efeito da sustentabilidade está a modelar os negócios para melhor e explore os novos itens obrigatórios dos negócios.

adquira sua cópia agora